WHOLE 30 - A DIETA QUE ESTÁ CONQUISTANDO OS BRASILEIROS

Whole 30: A dieta da moda nos EUA que está conquistando o Brasil

A dieta  Whole30 chegou ao Braisl recentemente e já está fazendo a cabeça dos amantes de uma boa dieta . Confira abaixo tudo sobre está maravilha que veio agora para o Brasil dos EUA.

dieta america whole30 conquista o brasil

Mudança no cardápio por 30 dias. Se furar um dia, é preciso voltar para o início. Essa é a base da dieta  Whole 30, já consagrada nos Estados Unidos, e que vem ganhando adeptos a cada dia no Brasil. Alguns alimentos são proibidos. Destaque para os grãos (qualquer tipo de grão ou alimento produzido com eles), legumes (no qual estão incluídos qualquer tipo de feijão, amendoim, lentilha, soja) e laticínios, além do óbvio açúcar e álcool, entre outros. Outra regra fundamental: não é permitido se pesar durante o programa. Subir na balança, só depois dos 30 dias.
Para falar sobre a dieta  da momento, entrevistamos o conceituado endocrinologista Flávio Cadegiani. Para ele, a Whole 30 persiste no mesmo erro de outras dietas , já que é muito restritiva. “Isso demanda extrema organização pessoal e inúmeras renúncias sociais,”, diz.
Para ele, é preciso que, de fato, que novos caminhos sejam encontrados. “É preciso acabar esta briga eterna de amor e ódio com alimentos prazerosos, para termos uma relação verdadeiramente harmoniosa com a alimentação, cujo equilíbrio é, acima de tudo, individual.” Como funciona a Whole 30, dieta da moda nos EUA?

Flavio Cadegiani – A dieta basicamente exclui todo e qualquer alimento industrializado ou mesmo processado, mesmo que “natural”, e pede que se ingira somente alimentos cujos ingredientes estão em estado natural. Em tese, ela não delimita quantidades. Mas sugere tamanhos de porções. Solicita-se 30 dias para esta “mudança” e recomenda extrema rigidez para não fura-la. Sugere que com esta limitação, somada à rigidez quanto às restrições, profundas mudanças ocorrerão, de mentalidade até o paladar.

Quais os alimentos permitidos?

FC – Todas as frutas, óleos de coco, de azeite, proteínas de carne vermelha, branca e ovos, verduras e alguns legumes.

Quais os alimentos proibidos?

FC – Os alimentos proibidos vão desde os mais óbvios, como açúcar, refrigerantes, álcool, frituras, até grupos que em outras dietas  não haveria problemas, como grãos (de trigo até arroz ou quinoa) até leguminosas (lentilha, feijão…) e todo e qualquer derivado de leite, mesmo os “saudáveis” e “sem lactose”. O Whole 30 insiste muito no assunto de ingredientes escondidos em alimentos preparados, porque de fato o marketing alimentar, principalmente nos EUA, é muito forte. (Esta semana enquanto estava em viagem nos EUA resolvi ler o rótulo de mais de 10 marcas de molho pesto, que em tese é saudável – com exceção do queijo granda Padano, mas que pode ser substituído – e todos, sem exceção, não usam azeite de oliva como fonte de óleo, e sim uma mistura bizarra. Isto em um supermercado (Whole Food Market).

 

Qual a grande diferença da Whole 30 para dietas  como a Dukan, que também restringe a ingestão de carboidratos?

FC – Na verdade, o Whole 30 não restringe a ingestão de carboidrato, e sim de “maus” carboidratos. Eu a vejo como menos restritiva quanto a ingestão de carboidratos do que a Dukan, por exemplo. Porém, a Dukan permite mais receitas do que a Whole 30, porque esta limita muito os alimentos cujos todos os ingredientes não sejam explicitamente vistos a olhos nu. Uma panqueca pode ser feita dentro de uma dieta Dukan, mas mesmo que tenha só ingredientes permitidos, descaracteriza a dieta Whole 30.

Por quais razões a maioria das pessoas que tenta uma dieta protéica não consegue se manter nela?

FC – Viver em baixo carboidrato é viver em um outro estado metabólico. De fato, com os dias, a fome passa devido à cetose, mas velocidades e reações corporais e mentais também mudam. E à primeira exposição a maior quantidade de carboidrato, pronto, o metabolismo anterior volta completamente. A dieta, embora possa eventualmente ter benefícios, é extremamente frágil e instável porque vivemos em um meio social e cultural que vai completamente contra este tipo de dieta. E também quanto a à individualização de resposta. Eu, por exemplo, se restrinjo carboidrato, além de o meu QI cair pela metade,, eu não perco um grama de gordura.

O fim do ano se aproxima e, com ele, a corrida para a perda de peso e gordura. É possível atingir bons resultados até o Natal? Como a melhor estratégia a ser seguida?

FC – O conceito de bons resultados é variável. É possível perder de forma saudável – 6 a 7 quilos de gordura em 45 dias, o que é muita coisa em termos de volume, já que a gordura é leve, e por isso esta quantidade de peso significa grandes reduções de volume. Agora, é uma grande sacanagem que logo no período de várias comemorações como amigo-secreto, festas de encerramento de final de ano, natal, etc, seja justo logo antes do período em que muitos irão deixar os corpos expostos nas praias e pelas cidades durante o verão. Essa dualidade que vivemos anualmente é o grande problema. Por isso, se quiser ter um corpo legal no verão, o ideal é esculpi-lo ao longo do inverno. Igual a parábola do trabalho de formiguinha, que levanta sua casa aos poucos, mas pelo menos é muito mais sólida.

Fonte: Jornal Estadão